Ademir Mariano da Silva - Sementeira Santamélia

DICAS AGROECOLÓGICAS

Enxertia em mangueiras - Enxertia por garfagem - Série: Propagação de fruteiras

A enxertia por garfagem, o ponteiro ou garfo é destacado da planta nobre a ser propagada e
introduzido em porta-enxerto rústico. Neste tipo de enxertia o método mais usado, a garfagem de
topo, por oferecer maiores facilidades na prática, apresenta o inconveniente de ter-se que sacrificar o porta-enxerto na decapitação que se faz para abertura da fenda que recebe o ponteiro acunhado na extremidade basal. Portanto, caso o enxerto não pegue, perde-se a muda. Na garfagem lateral, por exemplo, isto já não acontece; se por um ou outro motivo a enxertia não pegar, tem-se novas chances de repetir a operação com aquele porta-enxerto usado, mas este fato pode se tornar irrelevante quando a enxertia por garfagem de topo é bem praticada, situação em que dependendo da espécie em questão, resulta em índices superiores a 90% de pegamento dos enxertos.
Na manga, pode-se decapitar o cavalo a uns 3-5 cm do ponto de enxertia ou curvá-la um pouco acima do ponto de enxertia até o solo, fixando-o na sacolinha ao lado, situação esta em que o enxerto, uma vez brotado, assume a posição ereta, e quando desenvolvido, procede-se enfim a decapitação do cavalo.
Com as mudas enxertadas formadas, bem desenvolvidas, situação quase nunca alcançada antes dos seis meses pós-enxertia toma-se as devidas providências para plantá-las no local definitivo, adotando todas as práticas agrícolas recomendadas na adequada condução do pomar, uma vez que, em se tratando de mudas nobres, devem receber um tratamento condizente com seu padrão.

Outras Notícias

EM SINTONIA COM A NATUREZA

É um Programa produzido pelo Centro Sabiá que vai ao ar todos os dias às 16h na Rádio Web Agroecologia. O tema desta ...

NAC NOTÍCIA

VIII Jornada Universitária em Defesa da Reforma Agrária - VIII JURA Reforma Agrária para a Democracia e Soberania Na...