O Programa vai ao ar à 1h, com reprise às 13h

DICAS AGROECOLÓGICAS

Nesta semana, o Prof. Walter Santos fala sobre o Nim.

O nim é uma planta de origem asiática, pertencente à família Meliaceae, natural de Burma e das regiões áridas da Índia (SAXENA, 1983). O nim (Azadirachta indica A. Juss) também pode ser encontrado com os nomes de neen, margosa, nime, lila índio, ou ainda por Melia azadirachta L., Melia indica (A. Juss.) Brandis e Antelaea azadirachta (L.) Adelb. (KOUL et al., 1990).
É usada há séculos na Índia como planta medicinal, planta sombreadora e mais recentemente como inseticida, na produção de madeira e cosmético. Segundo MARTINEZ (2002), é conhecida há 5.000 anos e apresenta ação contra mais de 430 espécies de pragas que ocorrem em diversos países, causando múltiplos efeitos, tais como: repelência, interrupção do desenvolvimento e da ecdise, atraso no desenvolvimento, redução na fertilidade e fecundidade, e várias outras alterações no comportamento e na fisiologia dos insetos que podem levá-los a morte. Além disso, estudos vêm demonstrando que o nim é uma planta medicinal que pode ser usada como anti-séptico, tônico, vermífugo, na cura da diabetes, malária, problemas dermatológicos, combate a sarna, pulga e outras doenças (MARTINEZ, 2002).
Em vários países, incluindo o Brasil, essa árvore tem sido estudada para fornecer produtos alternativos aos agrotóxicos, como extratos de frutos, sementes, ramos e folhas, e para controlar pragas em culturas onde o uso de agrotóxico não é permitido, como no caso dos cultivos orgânicos.

Características botânicas

É uma árvore de crescimento rápido, podendo alcançar de 10 a 20 m de altura, com tronco semi-ereto a reto, marrom-avermelhado, duro e resistente, de 30 a 80 cm de diâmetro, e apresentando um sistema radicular que pode atingir profundidade de até 15 m.
Sua copa pode variar de 8 a 12 m. Suas folhas são alternadas, com freqüência aglomerada nos extremos dos ramos simples e sem estípulas e com folíolos de coloração verde-clara intensa (SODEPAZ, 2006). Suas flores são brancas ou de cor creme e aromáticas, reunidas em inflorescências densas, de cerca de 25 cm de comprimento, encontrando-se tanto flores masculinas como hermafroditas na mesma planta. Seu fruto é uma baga ovalada que apresenta cor verde-clara durante seu desenvolvimento inicial, e se tornando amarelado, com polpa macia e amarga quando madura (SODEPAZ, 2006). Sua semente apresenta uma casca dura, porém fina, de coloração branca, contendo em seu interior a semente propriamente dita, de coloração marrom.

Ecologia da planta

A planta cresce durante os cinco primeiros anos de 4 a 7 m. Sua floração normalmente se inicia no segundo ano de idade, e a produção de frutos passa a ser significativa após três anos do plantio, com cerca de 8 kg de frutos planta-1. No Brasil, a produção de frutos se inicia em dezembro nas regiões Central, Norte e Nordeste; na região Sudeste, a produção predomina entre fevereiro a abril, e na região sul, vai de maio até junho (MARTINEZ et al., 1998).

Clima e solo

O nim é uma planta de clima tropical, podendo se adaptar ao clima subtropical. Seu máximo potencial de desenvolvimento é obtido com temperaturas entre 20 e 32º C (GRUBER,1992). É mais resistente às altas do que as baixas temperaturas, tolerando temperaturas altas, mas não suportando temperaturas abaixo de 4ºC por muito tempo. Geadas causam mais danos em mudas pequenas do que em árvores maduras, porém podem reduzir drasticamente a produção de frutos no ano seguinte.
A planta é resistente à seca, podendo se desenvolver com precipitação média anual de 400 mm, porém as condições ideais estão entre 800 e 1800 mm. Pode se desenvolver em qualquer solo, tendo preferência pelos profundos e bem drenados. O pH do solo ideal para seu crescimento deve variar de 6,5 e 7,5 (GRUBER, 1992).

Usos do nim

1. Como árvore.

Usada para arborização de ruas e praças, usada no campo como quebra-vento e como sombra. Sua madeira é resistente a cupins e tem sido utilizada na fabricação de móveis, mourões, estacas, esteios, ripas, caibros e utensílios domésticos (SODEPAZ, 2006).

2. Como inseticida, acaricida, fungicida e nematicida.

Com os extratos das folhas, sementes e cascas do nim, são obtidos o óleo, a torta moída e o pó de suas partes trituradas. Esses produtos têm demonstrado ação repelente e de alteração no crescimento e no desenvolvimento de um grande número de espécies de pragas (CPT, 2006).

3. Como medicamento e cosmético.

Apesar de poucos estudos nessa área, sabe-se que o nim tem sido empregado com algum sucesso na medicina, como antimicrobiano e no combate de problemas dermatológicos.
Na indústria de cosméticos, tem-se obtido bons resultados na fabricação de xampus, sabonetes e cremes dentais (CPT, 2006; OSI, 2006).

4. Uso veterinário.

Em animais, estudos recentes, têm mostrado que o nim pode ser um grande aliado para controle de carrapato, mosca-do-chifre e no controle de sarna (CPT, 2006).


Modo de ação do nim sobre os insetos

A ação dos extratos de nim sobre insetos é bastante variável de espécie para espécie. Pode afetar o desenvolvimento das larvas e atrasar seu crescimento, reduzir a fecundidade e fertilidade dos adultos, alterar o comportamento e causar diversas anomalias nas células e na fisiologia dos insetos (IAPAR, 2006b).
De acordo com a literatura, o nim contém um grupo variado de substâncias bioativas com alto efeito biológico; entre estas substâncias estão azadiractina, meliantrol e salanina (NARAGNAN et al., 1980), além de vilasinina (KRAUS et al., 1991). O conjunto dessas substâncias e a ação específica de cada uma delas em separado produzem diferentes efeitos sobre os insetos, como repelência, esterilidade, desorientação na oviposição, efeito letal, regulador do crescimento, entre outros (JACOBSON, 1987; BRECHELT et al., 1995). Todavia,estudos têm sido enfocados principalmente em relação a azadiractina, por ser o ingrediente com maior atividade tóxica (SOON & BOTTRELL, 1994). A azadiractina é encontrada em maior quantidade nos frutos do que em demais partes da planta. O conteúdo médio dela nas sementes é de 3,5 mg g-1 de semente (ERMEL et al., 1987).
Pela sua semelhança com o hormônio da ecdise (processo que possibilita ao inseto trocar o esqueleto externo, possibilitando seu crescimento), a azadiractina pode perturbar a ecdise do inseto e, em altas concentrações pode chegar a impedi-la, causando sua morte. Por essa razão, as formas jovens de insetos são mais fáceis de controlar. A salanina, outra substância encontrada no nim, é um repelente fortíssimo (SODEPAZ, 2006).
A azadiractina não causa a morte do inseto imediatamente, dado o seu efeito fisiológico, porém, além de afetar a ecdise, reduz o consumo de alimento, retarda o desenvolvimento, repele os adultos e reduz a postura nas áreas tratadas. Também tem maior ação por ingestão, de modo que os insetos mastigadores são mais facilmente afetados. (IAPAR, 2006b).
A azadiractina é muito instável em meios ácidos e alcalinos, em altas temperaturas, em presença de luz e de umidade (DAMARLA, 2001). ERMEL et al. (1987) demonstraram que a atividade da azadiractina pode ser reduzida em 10% quando exposta a temperaturas acima de 50ºC durante 24 horas (SCHMUTTERER, 1990). Por isso se torna importante tomar os devidos cuidados durante os processos de colheita, secagem e armazenamento das sementes.
As espécies que tem se mostrado mais facilmente controladas são as lagartas, pulgões, cigarrinhas, larvas de besouros e pragas de grãos armazenados. Resultados de pesquisas mostraram efeitos letais e deformidades em larvas e pupas de lagarta-do-cartucho do milho (Spodoptera frugiperda), em ácaros (Tetranichus urticae e Panonychus citri), nematóides como Meloidogyne incognita, mosca-das-frutas (C. capitata),cochonilhas (Saissetia coffeae), broca-do-café (Hypothenemus hampei), mosca branca (Bemisia tabaci) e redução de postura em bicho-mineiro (Leucoptera coffeella), (SCHMUTTERER, 1988; GRUBER, 1992).
Os inseticidas naturais do nim são considerados de fácil biodegradação por não deixar resíduos tóxicos, por não haver acúmulo de contaminantes na cadeia alimentar e por não deixar resíduos no solo e nos produtos vegetais (SODEPAZ, 2006).



RECEITA 1

INDICAÇÃO:

Mosca branca, pulgões, baratas, diabrótica undecimpunctata, traça do amendoim, lagarta das maçãs do algodoeiro, mosca minadora, meloidogyne arenaria, traça das crucíferas, pragas de hortaliças, traças,
lagartas, pulgões, lagarta do cartucho,lagartas das hortaliças, gafanhoto, bicho minador dos citros, mancha de alternária,tombamento, fusarium e sclero!um rolfsii.

INGREDIENTES:

05 kg de sementes secas e moídas
de nim;
05 litros de água;
10 g de sabão picado.

MODO DE PREPARO:

Colocar os 05 quilos de sementes de Nim moídas em um saco de pano, amarrar e colocar em 05 litros de água. Depois de 12 horas espremer e dissolver 10 gramas de sabão neste extrato. Misturar bem e acrescentar água para obter 500 litros de preparado. Aplicar sobre as plantas infestadas, mediatamente após preparar.

OBS: Atualmente, mais de 418 espécies de pragas e insetos que ocorrem em vários países são afetados pelos extratos de Nim.


RECEITA 2

INDICAÇÃO:

Nematóides, Lagartas e larvas de insetos (Lepdópteros, Coleópteros, Hemípteros,
Dípteros e Orthopteros).

PRECAUÇÕES:Tóxico aos peixes, não há período de carência. Baixa toxidade aos mamíferos.

INGREDIENTES:

02 kg de frutas de Nim inteiras ou folhas verdes;
15 litros de água.

MODO DE PREPARO:

Bater no liquidificador as frutas ou folhas de Nim colocando água. Deixar descansando por uma noite com um pouco mais de água. Antes de aplicar, filtrar e misturar com água para obter 15 litros do preparado. Pode ser armazenado em frasco e local escuro por três dias.

MODO DE AÇÃO:

Fungicida, inse"cida, nema"cida, inibidor de crescimento e de ingestão de lagartas e larvas de insetos.

Fotos

Outras Notícias

RÁDIO WEB ENTREVISTA

AGROECOLOJA Hoje, a radialista Allana Menezes conversa com Juliana Moraes da equipe de gestão da Agroecoloja. O P...

SEMEARTE

SEMEARTE Hoje, ouviremos o Poeta Junior Vieira recitando de sua autoria "Precisando da saudade". O programa SEMEART...