Assentamento Chico Mendes III

O Assentamento Chico Mendes localiza-se no município de São Lourenço da Mata-PE, a 7 km da cidade, antigo Engenho São João. O assentamento resultou da luta do Movimento dos Trabalhadores Sem Terra na Região Metropolitana do Recife em Pernambuco desde 2004. As famílias foram assentadas em 14 de outubro de 2008, pelo Instituto Nacional de Colonização e Reforma Agrária (INCRA) em lotes de sete hectares, totalizando 55 famílias, que ocupam aproximadamente 313 ha, mais 100 ha de reserva legal. No assentamento Chico Mendes há uma escola itinerante, Conde Pereira de Carneiro, onde funcionam duas turmas, sendo uma de Educação Infantil e outra de Educação de Jovens e Adultos. A produção agropecuária no assentamento Chico Mendes é diversificada. Cultiva-se banana, caju, mamão caiana, acerola, uva, cana-de-açúcar, laranja, azeitona, manga, jaca, pinha, feijão de corda e mulatinho, mandioca, inhame, batata-doce, jerimum, pepino, melancia, melão, cenoura, alface e coentro, etc. Também criam-se peixes (tilápia, carpa e tambaqui), bovinos, caprinos, aves e suínos. Contudo, as atividades produtivas principais do assentamento compreendem o cultivo de milho, feijão, abacaxi e mandioca. No período de acampamento, de 2004 a 2008, as famílias acampadas chegaram a cultivar até 300 ha, principalmente com milho, feijão, mandioca e abacaxi. A maior parte da renda das famílias advém do período da colheita com a venda de milho verde, mandioca e abacaxi nas margens da BR 408, que passa em frente ao assentamento, e na feira do produtor que ocorre aos domingos em Tiúma, distrito pertencente ao município de São Lourenço da Mata e localizado a 3 km do assentamento. Alguns assentados têm vendido sua força de trabalho junto ao Engenho São José, localizado próximo ao assentamento, de modo a complementar a renda da família. Segundo os assentados o solo da área do assentamento está muito “desgastado”, em decorrência da exploração da cana-de-açucar e da criação de bovinos/bubalinos praticadas na Fazenda São João até 2004. Contudo, é provável que a continuidade da prática da queimada da vegetação venha contribuindo para a queda da fertilidade do solo. Os técnicos do movimento dos Trabalhadores Sem Terra estão finalizando o diagnóstico sócio-econômico e ambiental do Assentamento, com o objetivo de elaborar o Plano de Desenvolvimento para o Assentamento Chico Mendes, segundo os preceitos da nova Política de Assistência Técnica e Extensão Rural.